LiveZilla Live Chat Software

Economia de água com as válvulas bloqueadoras de ar

O que são as famosas válvulas bloqueadoras de ar que geram a economia de água?

Com a onda de economia de água e consumo racional cada vez mais presente em diversos estados brasileiros, algo muito curioso vem sendo percebido pelos consumidores: a presença do ar nas tubulações das concessionárias, que deveriam abastecer com água, apenas, os seus clientes.

Existem hoje no mercado dois tipos de peças para serem usadas de forma a evitar que o consumidor arque com esse custo. As válvulas bloqueadoras e eliminadoras de ar servem a esse propósito, cada uma com as suas características.

Vale lembrar que o Inmetro não avalia nenhuma das duas peças.

Eliminadores de ar
Instalada antes do hidrômetro, os eliminadores de ar funcionam com um sistema de boias flutuadoras, que não deixam o ar passar.
São feitos, geralmente, de metal, como o bronze, para evitar que enferrujem e, assim, contaminem a água

Bloqueadores de ar
São instalados após o hidrômetro, funcionam com um sistema de molas, que faz com se crie um bloco de ar pressurizado, que evita que mais ar passe pelo hidrômetro. Quando a água chega, ela se mistura, e tem mais força para empurrar aquela massa de ar. As peças podem ser feitas de plástico ou de metal.

 O ar está presente nas tubulações de água ?
Diversos motivos podem ocasionar a formação de ar na tubulação da rede de abastecimento de água. Podemos citar como sendo os mais comuns:

* Acidentes em adutoras.
* Manutenções preventivas em redes de abastecimento.
* Rodízio de abastecimento.
* Excesso de consumo.
* Manobras de bombeamento.
* Pontos com baixa pressão no fornecimento.

Sempre que ocorre falta d’água a tubulação é ocupada por ar. Quando o fornecimento é restabelecido, esse ar acumulado na tubulação é “empurrado” para o cavalete de entrada, fazendo com que o hidrômetro registre-o como se fosse água, já que os hidrômetros não conseguem distinguir entre água e ar).

 Percebe-se facilmente a presença de ar:
* Quando abrimos uma torneira (direta “da rua”, não da caixa d’água) e a água sai em jatos interrompidos (“cuspidos”). Isso significa água intercalada com bolsas de ar.
* Quando abrimos a torneira direta da rua e não sai água nenhuma, ouvindo-se somente o ruído característico do ar.
* Quando verificamos que o hidrômetro está “girando” e o fornecimento de água está interrompido pela concessionária.
* Ou ainda, quando verificamos aumento significativo na conta de água e as possibilidades de vazamento tenham sido descartadas.

As Concessionárias de Água e Esgoto não sabem que existe ar na tubulação?
As empresas de água sabem dessa realidade. Elas instalam válvulas do tipo ventosas ou purgadoras de ar em alguns pontos de sua rede, mas estas por serem instaladas em número muito reduzido, não eliminam e nem resolvem o problema. Normalmente, a utilização dessas válvulas tem como principal objetivo prevenir acidentes nas adutoras ocasionados por golpes de aríete.

Essas válvulas não são instaladas nas quantidades tecnicamente necessárias, pois a exemplo de válvulas eliminadoras de ar, elas apresentam “orifícios” de saída de ar. Esses “orifícios” permitem também a entrada de agentes estranhos. Usualmente são instaladas apenas em locais altos, longe de agentes contaminadores, enchentes, etc.

Por que o ar encarece as contas d’água?
Ao ser “empurrado” pela água, o ar entra nas edificações através do “cavalete” de entrada, passa pelo medidor de consumo (hidrômetro) e é registrado como se fosse água efetivamente consumida. Além disso, esse mesmo ar sai da tubulação e é cobrado novamente através da taxa de esgoto, que é cobrada proporcionalmente ao consumo já registrado indevidamente. Dessa forma, o consumidor paga pelo ar que entra pelo cavalete e ainda pelo ar que “sai” em forma de esgoto.

 É possível reduções na conta de água de 10%, 20%, 30%, 40% ou superiores?
Devido a uma variação de causas, não se pode garantir um percentual fixo de economia antes de se instalar o bloqueador de ar. A economia resultante do seu uso será proporcional à quantidade de ar existente na tubulação e dos motivos de sua formação. Sempre que houver a presença de ar na rede, o equipamento irá atuar, demonstrando sua eficácia e fator de economia nos dados de cobrança apresentados na conta de água e esgoto.

 Existem outros motivos que podem causar a elevação da conta d’água?

– Elevação da tarifa do metro cúbico d’água pelas Concessionárias. Não podemos confundir “aumento do preço do metro cúbico de água” com a “metragem cúbica registrada”.

– Aumento do consumo real de água pelo consumidor. Aumento da quantidade de pessoas utilizando água, inauguração ou manutenção de piscina, vazamentos, limpeza de fachadas, manutenção em caixas d`água, etc.

– Troca de hidrômetro. Temos visto na imprensa relatos de consumidores que tiveram grande aumento em suas contas d`água após terem seus hidrômetros substituídos por novos. O desgaste natural no mecanismo interno do hidrômetro proporciona sempre uma marcação para “menor”.

– Para evitar prejuízos, as concessionárias efetuam trocas periódicas dos equipamentos, fabricados com tecnologia atualizada e maior precisão de leitura. Dessa forma, o registro no consumo de água passa a ser mais real, porém a marcação do ar também é mais evidente.

_ Erro de leitura do hidrômetro pelas empresas concessionárias de Água e Esgoto. Devemos verificar sempre a quantidade de metros cúbicos registrados na atual conta e compará-la com as duas contas anteriores, verificando inclusive a medição realizada com a indicada no próprio hidrômetro.

– Vazamentos. É possível ainda verificarmos aumento expressivo na conta de água ocasionado por vazamentos ou acidentes na tubulação do imóvel (encanamento interno, após o hidrômetro). Recomenda-se inspecionar periodicamente todas as instalações observando possíveis vazamentos em bóias, canos, caixas de descarga, válvulas de descarga, torneiras, etc.

Publicado em Dicas Marcado com: , , , , , ,

Contate a Sorotec

Nome

E-mail

Telefone

Serviço Desejado